FIASCO!

Carlos Novaes, 7 de setembro de 2021, às 12:10h

Com ++++ acréscimos às 13:28h, às 17:40h, às 18:00h e às 19:29h

Sem ser espetacular, o público que foi à manifestação governista em Brasília garantiria êxito a qualquer comício político, não tivessem seus organizadores garganteado que o comparecimento seria algo inédito — tivemos menos do mesmo. Dessa perspectiva, foi um fiasco, o que deve ter contribuído para o tom desanimado em que Bolsonaro fez seu discurso previsível, repetindo o que já vinha dizendo. Como não poderia deixar de ser, mais uma vez ele adiou qualquer desfecho mais assertivo, cumprindo o roteiro do seu reiterado estelionato ideológico.

Quem acompanha este blog não ficou surpreso, mas esse truque de circo, pelo qual se gera a expectativa máxima e se entrega a emoção mínima, já torrou a paciência de quem entende minimamente o que se passa: esse sujeito está perdido e não tem para onde ir. O problema é que ele é o presidente da República.

Vamos aguardar pelo que ocorrerá em SP, embora não haja motivo para imaginar que se dará ali coisa diferente do que se passou na capital.

[13:28h] — Bolsonaro pediu aos manifestantes do DF que o assistam no evento de SP, às 16 horas. Observe leitor como esse convite/adiamento é revelador de como o besta se deu conta do fiasco que protagonizava: o convite embute mais uma promessa fraudulenta, como se em SP ele vá realizar a pirueta prometida, mas nunca mostrada. Em mais esse adiamento, o besta passou recibo de que percebeu o quanto deixara a desejar ao público presente. Bolsonaro encontrou no palanque o vazio do que ele mesmo representa. O espantalho vai voar para SP, onde repetirá o seu discurso, talvez com alguma retórica golpista mais “enfática”, dando material para as facções adversárias apresentarem as suas não menos manjadas coreografias. Vamos ver.

[17:40h] — A manifestação de SP esteve longe de cumprir as expectativas, ainda que tenha sido maior do que a do DF. Mais uma vez, a despeito de toda a dinheirama gasta no recrutamento, o besta sentiu a catinga do insucesso. O que mudou entre o discurso de Bolsonaro no DF e o de SP foi que ele, ao invés de falar em “uma pessoa”, deu nome ao boi e se declarou em desobediência em relação às determinações judiciais que Alexandre de Moraes, ministro do STF, venha a exarar.

É que Bolsonaro entendeu que armou uma ratoeira para si mesmo, fato antigo, que veio se impondo aos poucos, cuja evidência capital foi o fiasco dessa manhã no DF. Ali ficou claro para boa parte da massa de manobra que ela está fazendo papel de otário coletivo. Bolsonaro sentiu o peso do anticlímax (desmoralização que tínhamos antecipado) e, como remendo, fez uma promessa para o discurso da tarde, o que o levou a esse passo covarde, tentando reduzir a crise à figura de Moraes. É mais um blefe, tão consistente quanto o prometido bloqueio das estradas brasileiras por caminhoneiros aliados…

Teremos de esperar para ver o que ele fará quando as decisões de Moraes o atingirem pessoalmente. Quanto às decisões que atingem outras pessoas, como as prisões recentemente decretadas pelo ministro, Bolsonaro teria de invadir pessoalmente as cadeias ou, no caso de futuras prisões (há mandados por cumprir), tentar impedir pessoalmente a ação policial respectiva… mais cedo ou mais tarde, o besta vai acabar preso.

[18:00h] — Evidentemente, não passa de rematada bobagem atribuir ao STF (e, muito menos, a Moraes) o fato de ainda não estarmos sob ditadura. Se só tivéssemos o STF é que já estaríamos sob ditadura. O que impede Bolsonaro de avançar em seu delírio ditatorial é a preferência pela democracia da maioria da sociedade brasileira, preferência que se traduz — de maneira torta, é verdade — nesse Estado de Direito Autoritário manejado por facções beneficiárias (aí incluída a alta oficialidade das FFAA), às quais tampouco interessa uma ditadura, especialmente de alguém tão imbecil e impopular como Bolsonaro. O besta está cercado, com pouco apoio. No primeiro passo real que der na direção de uma ditadura, será preso. Poderá haver arruaças, mas elas serão contidas e se dissiparão. A maioria da sociedade brasileira está a pagar um preço altíssimo pela sua falta de lucidez, advinda fundamentalmente da junção de ignorância com crendices.

[19:29h] – A essência deste dia 7 é: mais uma vez em sua vida de celerado, depois de lançar-se à sorte no garimpo, Bolsonaro se vê ainda mais longe dos seus objetivos: fez um papelão e ainda frustrou boa parte daqueles que saíram de casa para apoiá-lo naquele que seria o dia decisivo… A essa altura, o besta deve estar se dando conta de que no período em que integrou o baixo clero congressual era feliz e não sabia: podia dizer as bobagens que quisesse, a ninguém ocorria de lhe cobrar resultados, mansidão na qual ele enriquecia a si e à família na roubança miúda das rachadinhas… E o vento levou…

3 pensou em “FIASCO!

  1. João Leno

    Professor,

    Muitos estão defendendo que mesmo sem o apoio dos militares e da população, Bolsonaro teria apoio de uma elite, do agronegócio e empresariado. Todavia, ainda me soa alarmista, por tudo o que o senhor já analisou por aqui.

    O sr. percebe esse tal apoio de uma elite econômica?

    Responder
  2. Luciano

    Prezado Carlos Novaes,
    Parabéns pelos textos analíticos dos acontecimentos do dia 07/09/2021. Foram certeiras as suas previsões a partir da análise da conjuntura política e social da atualidade.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *